sexta-feira, 29 de maio de 2009

de restos e lixos

poesia é coisa
nos arrasta
restos e lixos

poesia não se faz
captura-se o pó da coisa
e ao pó retornamos

4 comentários:

amigodcristo disse...

ola ,,gostei do seu blog ,,sinceramente poesia e uma fonte de vida da alma,com ela podemos alcançar o ipossivel graça e paz ,,ha estou seguindo seu blog !!!

Tere Tavares disse...

Vládia,
Nada mais verdadeiro, fatal até, não fosse o gosto que extraímos de cada partícula, mesmo amarga.
Lindo poema. Beijos

a andarilha disse...

oi pessoal,

bom tê-los por aqui.

amigodcristo, sinta-se à vontade para seguir o blog.

Tere, minha querida, obrigada por aparecer. passada a loucura da festa que seria, parafraseando Clarice, colocarei novos posts. agora estou no fim do semestre. bjão.

bruno nobru disse...

andarilha, por onde anda? faz falta de ler..